A fábrica da educação: da especialização taylorista à flexibilização toyotista